Estacionar na ladeira: quais são os cuidados que você precisa tomar com pneus e câmbio

Engatar a marcha ou virar a roda do carro: o que fazer na hora de parar o veículo na subida?

Se você já parou o carro em alguma descida íngreme, já deve ter ouvido alguém dizer alguma dessas frases: puxe o freio (por motivos óbvios), vire a roda, deixe a primeira marcha engatada.

Veículos mais antigos tinham sistemas mais simples e, vez ou outra, mais falhos também, então somar esses “breques” era importante para não ver o carro descer ladeira a baixo.

Mas isso pode de alguma maneira danificar algumas peças, como freios, pneus e suspensão?

Para o especialista técnico da Bosch, Diego Riquero Tournier, existem alguns pontos a serem lembrados nessa situação. Em primeiro lugar, o sistema de freio de mão mecânico, mais comum, foi desenhado para suportar todo o peso do carro. Portanto, ele é a primeira ferramenta essencial na hora de estacionar o veículo.

“Seja qual for o modelo, antigo ou moderno, tem o freio de estacionamento. O fato de virar a roda do meio fio para a calçada não é um problema. Não tem uma contraindicação contra virar a roda, o problema é usar a roda como elemento de trava mecânica do veículo”, afirma.

“A suspensão, mesmo na descida, foi feita para suportar e distribuir o peso do carro uniformemente no sistema. Não vai haver desbalanço mesmo que o carro esteja virado”.

O que acaba acontecendo é que o motorista encosta a roda e a utiliza como calço, o que acaba deformando o pneu. “Por mais que depois se aperte o botão ou puxe o freio mecânico, o primeiro elemento que está sustentando essa carga seria a roda dianteira”, diz Tournier.

Isso sobrecarrega uma peça que não foi feita para suportar o peso do carro. “O dano mais provável é a deformação do pneu, ao longo do tempo, e também a possibilidade de deformar o terminal de direção. Não é plausível de acontecer acidente, mas é o bastante para modificar a geometria de direção”.

Mesmo veículos automáticos, com o botão de parada, não sofrem grandes problemas nessa situação. Diego afirma que o sistema que segura o peso do carro é o mesmo que freia, portanto não há grandes motivos para preocupação.

Mas os especialistas concordam: não há problemas em deixar o carro com o pneu virado. O professor Marcelo Alves, do departamento de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, ainda acrescenta uma situação de risco para estar atento nessa situação.

“Em princípio, o veículo pode ficar parado com as rodas esterçadas. A questão é o tempo que vai ficar parado. Uma hora ou duas horas, isso não é problema, o problema é o veículo parar por muito tempo, em uma questão de meses”, explica.

Os pneus possuem uma malha de aço interna e um longo período parado pode ocasionar uma lesão nessa malha, que gera bolhas e desestabiliza o veículo.

Fonte: Revista Auto Esporte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s