Como saber se o carro precisa de um alinhamento ou balanceamento?

Algumas dicas simples de um engenheiro para saber se seu carro precisa do serviço

Para o balanceamento, o principal sinal de um problema é trepidação no volante. É o que explica o diretor da SAE Brasil, Francisco Satkunas. “Em velocidades acima de 50 km/h, o volante começa a vibrar e isso vai aumentando se o motorista acelerar mais. Este pode ser um sinal que é preciso fazer um balanceamento”. O especialista acrescenta que esse problema também pode acontecer nas rodas traseiras. Neste caso, o motorista irá escutar um barulho vindo da carroceria.

Já para saber se o veículo precisa de um alinhamento, Francisco sugere um teste. “Se em uma rua vazia, com uma velocidade de aproximadamente 20 km/h ou 30 km/h, o condutor soltar rapidamente o volante do carro e sentir que ele está puxando para algum lado, é sinal de um problema”.  Neste caso, é preciso levar o carro para uma verificação de alinhamento.

Segundo o engenheiro, é recomendado fazer uma verificação de alinhamento e balanceamento a cada 10 ou 15 mil km. Mas se o carro estiver se comportando bem, sem vibração ou sem sair da linha reta, não é necessário fazer a avaliação.

 

Fonte: Auto Esporte.

Quais são os principais tipos de motos?

As motos são classificadas através dos mais diversos estilos. Eles podem variar de cada país, apesar das nomenclaturas geralmente serem semelhantes. Confira a lista abaixo com alguns dos modelos mais comuns:

Scooter, Motoneta, Lambreta ou Vespa – São veículos motorizados de duas rodas, no qual o condutor condiciona suas pernas para a frente de seu tronco, em vez de para os lados, como ocorre nas motocicletas.

CUB – Meio termo entre as Scooters e as Motos. Diferencia-se da primeira principalmente por possuírem câmbio, além de embreagem centrífuga semiautomática.

Esportivas – Têm design futurista e mecânica de excelente desempenho. Os motores geralmente possuem mais de 600 cilindradas, o que permite maior aceleração, algumas alcançando velocidades superiores a 300 Km/h.

Custom – Estradeiras que não priorizam a velocidade, mas o conforto. A altura do banco é baixa, as pedaleiras são avançadas e o tanque é grande e paralelo ao chão, de forma a proporcionar uma posição confortável para pilotagem.

Roadsters – Aliam o visual e a posição de pilotagem das custom com o alto desempenho das esportivas.

Chopper – Derivam das Custom com a diferença na posição do tanque, que é alto na frente e baixo atrás, formando uma linha com o eixo da roda traseira. O garfo da frente tem um ângulo em relação ao motor, maior que nas Custom e seu comprimento também é maior, deixando a distância entre eixos bem grande.

Naked – Têm bom desempenho em relação ao motor, e conjunto mecânico. Permitem uma posição de pilotagem menos ‘deitado’, melhorando o conforto para condução em vias urbanas, seu guidão é mais alto do que nas esportivas e não possuem carenagem.

Off-road – Possuem diversas variantes: motocross/supercross, enduro, cross-country, raids e trail. Os pneus são específicos, geralmente para tração na terra e as rodas são maiores para transpor obstáculos com maior facilidade. A sua suspensão possui um curso total maior, sendo mais altas em relação ao solo, para absorver impactos e não os transmitir para o piloto. O visual geralmente é despojado, com desenho rústico e/ou agressivo.

 

Fonte: Michelin.

Bridgestone ajuda consumidor a conhecer dados técnicos dos pneus

Você sabia que é possível descobrir o tamanho, capacidade de carga e velocidade, modelo, origem, certificações de qualidade e data de fabricação na lateral do pneu? Todos os pneumáticos possuem estas informações em suas paredes laterais. Estes dados funcionam como o “DNA” do pneu e são de extrema importância para a segurança do motorista, além de úteis na troca dos pneus.

“Os pneus são o principal elo entre o veículo e o solo”, comenta José Carlos Quadrelli, gerente geral de Engenharia de Vendas da Bridgestone. “Eles exercem influência direta em todo o comportamento dinâmico de um carro. Por toda esta importância, as montadoras realizam testes rígidos para escolherem os modelos mais indicados de pneus para cada tipo de veículo. Todas as especificações do produto escolhido podem ser encontradas no manual do proprietário”, diz.

Para entender melhor as nomenclaturas, vamos tomar como exemplo o pneu Bridgestone B250 Ecopia 165/70R13 79T:

Bridgestone – nome do fabricante

B250 – denominação comercial do produto (modelo)

Ecopia – identificação de versão com baixa resistência ao rolamento

165 – largura nominal da seção do pneu em milímetros

70 – altura da seção do pneu (70% da medida da largura nominal da seção do pneu)

R – tipo de construção “Radial”

13 – diâmetro do aro em polegadas

79 – índice de capacidade de carga (437 kg)

T – símbolo de velocidade máxima (190 km/h)

 

Além destas indicações, existe um número de série composto de 11 dígitos em seguida à palavra “DOT” em uma das paredes laterais (que identifica o “Department of Transportation” dos EUA e que instituiu este tipo de marcação). Os quatro últimos dígitos deste número identificam a data de fabricação do pneu:

1316 – data de fabricação (Ex.: 13ª semana de 2016)

“Quando a vida útil do pneu chega ao fim, muitos motoristas ficam na dúvida sobre qual modelo comprar. Mesmo que a versão do pneu tenha sua produção encerrada ou se opte por outra fabricante, com essas informações, o consumidor consegue comprar um produto que segue as recomendações que constam no manual do veículo”, finaliza Quadrelli.

Fonte: Bridgestone.

Como escolher o pneu 4×4 adaptado às tuas necessidades

Para saberes mais sobre o pneu que corresponde às tuas necessidades, consulta a nossa gama 4×4 ou utiliza o nosso pesquisador de pneus.

A BFGoodrich recomenda a colocação de 4 pneus idênticos nos veículos 4×4 (a mesma marca, a mesma forma, os mesmos índices de carga e de velocidade), bem como seguir as recomendações do construtor do veículo.

Os pneus 4×4 podem ser divididos por categoria de utilização mediante o tipo de terreno ao qual se adaptam.

Pneu 4×4 estrada: Para as berlinas de utilização maioritariamente em estrada com tração 4×4

  • Reativo e ultra preciso tanto em curvas como em linhas retas
  • Destinado à utilização na cidade ou na autoestrada

Pneu misto: Para os veículos 4×4 tipo SUV

  • Forma muito recortada e design cortante
  • Estrutura e flancos reforçados
  • Polivalente: Excelente performance na estrada e no terreno

Pneu todo-o-terreno “Off Road”: Para uma utilização e passagem fora de estrada

  • Tacos de borracha grandes
  • Desenho de forma recortado alto (50 %)
  • Profundidade de forma importante: 13 a 17 mm
  • Estrutura e flancos reforçados
  • Performances off-road extremas

 

Fonte: BF Goodrich.