Como analisar a escultura de um pneu

É na sua composição, nos materiais empregados e na sua escultura que um pneu mostra suas qualidades quanto à segurança, ao prazer de dirigir e à melhor relação custo/benefício.

Se a estrutura é invisível e seus compostos sempre pretos, o desenho da banda de rodagem (também chamada de escultura) por sua vez é bem visível. Saibamos, então, analisar duas performances básicas que atendem a expectativas muito importantes percebidas pelos motoristas:

  • a segurança (representada pela aderência sobre solo molhado);
  • o prazer em dirigir (representado pelo comportamento sobre solo seco).

COMO ANALISAR A ESCULTURA DE UM PNEU 2

Fonte: Michelin.

É correto fazer o rodízio dos pneus?

O rodízio é uma das principais medidas de manutenção, contribuindo decisivamente para o prolongamento da vida útil do pneu. Na verdade, a inversão de posição entre os pneus que rodam nos eixos dianteiro e traseiro dos veículos traz inúmeros benefícios. Quando efetuado nos intervalos de tempo recomendados, contribui para manter uniforme o desgaste dos pneus, proporciona melhor estabilidade, especialmente em curvas e freadas, colaborando também para uma melhora no desempenho global do veículo.

Ao longo do tempo, os pneus sofrem diferentes esforços e por isso acabam apresentando desgastes não uniformes. O rodízio deve ser adotado com o objetivo de amenizar ou de equalizar essas diferenças. Pegando-se como exemplo um carro com tração dianteira, verificamos que os pneus dianteiros têm as funções de acelerar, frear e esterçar o veículo. Por isso, sofrem desgaste maior do que os pneus do eixo traseiro.

Nesse tipo de veículo, o rodízio é feito invertendo-se a posição dos pares dianteiros e traseiros. Os pneus traseiros são colocados na frente e vice-versa. Para o caso de se incluir o estepe no rodízio, recomenda-se montar na dianteira direita, guardando-se como estepe o pneu da mesma posição, normalmente o que mais se desgasta em função da tração dianteira dos veículos e da construção das ruas e estradas, que via de regra “puxam” o carro para essa direção.

No caso de carros de tração traseira, trocam-se os pneus traseiros para frente em linha reta e os pneus dianteiros para trás de forma cruzada. Veículos com tração nas quatro rodas têm o “X” como padrão do rodízio: o pneu esquerdo traseiro é substituído pelo direito dianteiro e o pneu direito traseiro pelo esquerdo dianteiro. Utilitários, modelos esportivos e de luxo, devem seguir o padrão informado no manual do proprietário.

É recomendável que o rodízio seja efetuado a cada 5.000 ou 10.000 km, mesmo que os pneus não apresentem sinais de desgaste. Ele também deve ser feito se o usuário perceber alguma diferença na uniformidade do desgaste da banda de rodagem. É imprescindível que seja mantida a posição correta de montagem dos pneus (devido a possível assimetria dos desenhos da banda de rodagem), além de seus respectivos sentidos de giro (desenho unidirecional).

O rodízio deve ser entendido pelo proprietário do veículo como um procedimento preventivo e não corretivo. Para verificar qual o método aconselhado para o seu carro, verifique o manual que apresenta, em detalhes, esta recomendação.

É importante se ter consciência de que o rodízio dos pneus não consegue por si só corrigir os problemas de desgastes causados por partes mecânicas avariadas ou pelo uso dos pneus com pressões diferentes das ideais para determinada operação do veículo.

Fonte: Continental.

Quais os riscos de não fazer balanceamento e alinhamento?

Desejo montar pneus novos em meu veículo, porém não desejo fazer os serviços de balanceamento e alinhamento. Quais são os riscos?

Os serviços de balanceamento e alinhamento são essenciais. Tenha em mente que, ao optar por Continental, você estará comprando produtos Premium, de alta qualidade e com performance superior. Correr o risco de ter um desgaste irregular nos pneus e, por consequência, uma retirada de serviço prematura, não vale a economia. Reforçamos que desgastes irregulares não são cobertos pela garantia da Continental.

Veículos com problemas de alinhamento ou balanceamento de rodas não só causam desgaste irregular nos pneus, mas comprometem o conforto da viagem e a segurança. Dependendo da severidade do caso, outros componentes da suspensão podem sofrer desgaste prematuro também.

O balanceamento das rodas deve ser feito todas as vezes que os pneus forem desmontados e montados, mesmo que os pneus permaneçam os mesmos. Lembre-se que o balanceamento é afetado pela posição do pneu na roda também.

O alinhamento é um parâmetro sensível que perde sua referência com facilidade. O alinhamento sofre com impactos e quedas em buracos, situação muito corriqueira logo é improvável que um veículo consiga manter seu alinhamento em perfeitas condições por longos períodos.

Note que problemas ou falhas em componentes como bandejas, buchas de bandeja, amortecedores, molas, eixos e demais componentes da suspensão afetam os parâmetros de alinhamento dos veículos, o que pode e provavelmente vai causar um desgaste irregular nos pneus, aumentando o do valor do prejuízo.

 

Fonte: Continental.

Dez recomendações para manutenção preventiva

O desempenho e a condução com segurança são dois elementos chaves para a Pirelli, por isso gostaríamos de compartilhar algumas pequenas ações que ajudarão você a guiar com toda tranquilidade e segurança.

  • As pressões devem ser verificadas periodicamente com os pneus frios (incluindo o reserva). Nunca “esvazie” ou reduza a pressão de ar quando os pneus estiverem quentes pela condução, uma vez que é normal a pressão passar os níveis para pressões frias recomendadas
  • Os pneus devem ser substituídos quando gastos nos indicadores de desgaste, mesmo se apenas em uma parte da superfície de rolamento(banda de rodagem)
  • Verifique os ajustes do carro periodicamente e/ou após impactos ou desgaste irregular
  • Faça o balanceamento dos pneus periodicamente e/ou quando ocorrer vibração. Depois repita o passo 2
  • Após a ocorrência de impactos e perfurações faça também uma verificação no interior do pneu
  • Nunca estacione sobre manchas de óleo, solventes, etc., pois causarão danos ao pneu
  • Respeite as classificações de velocidade e índice de carga
  • Os pneus radiais (mesmo quando novos) sempre devem ser adaptados no eixo de roda traseiro; pneus de inverno ou tachonados devem ser colocados em conjuntos completos
  • O estilo de condução e a velocidade afetam diretamente na vida útil do pneu
  • Verifique regularmente a condição geral do pneu através de um Revendedor ou Assistência Técnica Pirelli autorizados.

 

Fonte: Pirelli.