Qual a vida útil de um pneu?

Um pneu tem uma boa vida útil quando o motorista se preocupar com bons hábitos de direção e manutenção apropriada do veículo.

Dirigir por longos períodos com pneus com baixa pressão reduz a sua vida útil, assim como conduzir um veículo cujas rodas estão desalinhadas ou desbalanceadas. Se você nunca ou raramente faz um rodízio de pneus, isso também pode acelerar o desgaste, especialmente nos pneus montados na frente em um veículo de tração dianteira. Eles não só carregam a maior parte do peso do veículo, mas também carregam a maior parte da carga na frenagem, curvas, entre outros fatores. Junte isso com um veículo desbalanceado e desalinhado, e você terá uma fórmula pronta para o desastre.

Vida útil de um pneu de carro

Embora nós esperemos pelo menos 60.000 km de pneus originais, a realidade pode ser completamente diferente dependendo da marca, manutenção, e cuidados com a direção do veículo. Em muitos veículos, a troca pode ser necessária na metade desse tempo, principalmente que dirige em condições mais extremas, tais como chuva, estradas de terra, entre outras. Mesmo quando uma fabricante garante uma quilometragem X ou Y para um pneu, quase sempre essa quilometragem não será cumprida.

Fonte: Carro de Garagem.

Conheça os tipos de pneus de passeio

A maioria dos carros pequenos, ditos “de passeio” – ou seja, quase todos, com exceção das caminhonetes e dos esportivos – são equipados com pneus também chamados “de passeio”. São pneus aptos a andar em tempo seco e sob chuva, se dão razoavelmente bem em estradas de terra e são mais baratos.

Pneus para pista seca

São pneus com poucos sulcos para escoamento de água, o que permite mais contato da borracha com o solo. São modelos caros e sofisticados, para carros esportivos, mas que durante chuvas têm seu desempenho muito reduzido – em mãos inabilidosas, são um perigo. Se você não for um piloto de arrancadas, fuja dele!

Pneus para carga

Há dois tipos. Para caminhonetes derivadas de carros de passeio (por exemplo, o Ford Courier, o Chevrolet Montana ou o Fiat Strada), pode-se preferir um pneu de passeio preparado para carga. Esses pneus têm o código C marcado logo após a medida – por exemplo, P175/70R14C.

Já os utilitários leves: caminhonetes maiores, furgões (vans) e utilitários esportivos (as chamadas SUVs) requerem pneus marcados como LT (de Light Truck).  No Brasil, os proprietários acabam escolhendo pneus de passeio porque são mais baratos e mais macios para dirigir. Esse não é o correto e, dependendo do seu uso, pode acarretar acidentes.

Se você usa sua SUV só para passear, tudo bem. Mas se puxar carreta ou trailer, ou se carregar muita carga com frequência, é melhor gastar um pouco mais e pegar o pneu LT. Fique atento à marcação de carga máxima (Max Load) e sempre consulte o manual do proprietário.

Pneu de uso misto

Tem muito carro por aí que são vendidos como off-road, mas na verdade precisam de alguns detalhes para que isso aconteça.

Se você os dirige só no asfalto, e pega um barrinho de vez em quando, tudo bem. Mas se vai com frequência para o meio do mato, os pneus (de passeio) que vêm com os modelos talvez não sejam adequados. Se é esse o seu caso, substitua-os por modelos de uso misto (todo terreno), mas esteja avisado que perderá conforto e desempenho no asfalto!

 

Fonte: Guia de Compras Casas Bahia.

É preciso mesmo fazer rodízio de pneus?

Nenhum dos especialistas consultados é contra a prática do rodízio de pneus, até por conta do esquema de tração da maior parte dos carros produzidos no Brasil. “O rodízio é muito importante. A maior parte dos carros tem motor dianteiro e tração dianteira, o que sempre faz com que o desgaste em um dos eixos seja mais acentuado.

Com o rodízio, um jogo pode compensar o desgaste”, recomenda Cesar Maldonado, gerente de atendimento ao consumidor da Continental. A maior parte dos fabricantes de pneus recomenda o rodízio em prazos entre 5 mil e 10 mil km rodados. Como pneu tem validade, é importante lembrar de envolver o estepe no rodízio.

 

Fonte: Revista Auto Esporte.

Você sabe calibrar pneu corretamente?

Encher o pneu e dirigir com pressão certa para o carro garante economia e segurança. Saiba como calibrar pneu, quando e onde fazer

Calibrar pneu é uma tarefa tão simples que, muitas vezes, chega a ser esquecida pelo motorista. Entretanto, a calibragem garante segurança ao veículo, conforto aos passageiros e ainda reduz o consumo de combustível do veículo.

A manutenção periódica dos pneus, assim como outros itens do carro, como freios, baterias e suspensão, precisa ser acompanhada de perto pelo dono do automóvel, pois rodar por aí com pneus muito vazios ou cheios demais pode causar prejuízos.

A área específica do pneu que entra em contato com o solo é definida pela calibragem de cada veículo de acordo com a carga. Se os pneus estiverem murchos, o motor vai fazer mais força para que o veículo se movimente, e, consequentemente, gastará até 20% mais combustível, cerca de R$ 600 por ano. Além disso, a baixa ou alta calibragem implica em uma distância de frenagem superior em relação ao veículo da frente e no risco de aquaplanagem, pois a estabilidade e a aderência ao solo são reduzidas. Com 7 libras a mais ou a menos do indicado, a vida útil deste item pode ser comprometida. Se estiverem cheios demais, haverá mais desgaste no centro e, vazios, as laterais serão mais afetadas. Tudo isso sem contar o desconforto no interior do veículo, já que os ocupantes poderão sentir as oscilações das ruas e das estradas facilmente.

Qual é a calibragem correta?

Ao levar o automóvel até um posto de gasolina ou oficina que possua o equipamento de calibragem, é comum que o frentista ou o mecânico perguntem se a calibragem vai ser de 28 ou de 30 libras. No entanto, apesar da experiência destes profissionais, não encha o pneus sem antes conferir a regulagem indicada pelo fabricante.

Os valores recomendados costumam ficar no manual de instruções que acompanha o veículo, na parte interna da porta ou na tampa do tanque de combustível. A informação indica a regulagem de pressão para os pneus do eixo dianteiro e traseiro, pois cada um tem necessidades diferentes e depende do tamanho do aro que está sendo usado. Se o carro estiver com o porta-malas em uso e diversos ocupantes, a pressão deve aumentar.

 

Fonte: Guia Auto.